COMO FAZER PARA DANÇAR A MAIS DE 50 ANOS E NÃO QUERER PARAR.

0

“Tchê, tu lembra que no Enart 2015 um casal de veteranos dançouna apresentação do CTG Brazão do Rio Grande? Mas quem são eles? Quanto tempo estão dançando? Verdade que dançaram todos os concursos estaduais? E dançaram junto com o Sr. J.C Paixão Côrtes mesmo? E tem mais alguém dançando ainda que é da mesma geração?”

Bueno moçada, hoje temos a grande honra de poder contar um pouco da história do casal Roberto e Iara Müller, que a muitos anos dedicam sua vida a tradição gaúcha, especialmente a dança. Nunca havíamos tido a oportunidade de estar conversando pessoalmente com os dois (e também com seu filho, um grande parceiro e estudioso da cultura gaúcha, Diego Muller). Conversa essa que tivemos no CTG Brazão do Rio Grande, onde fomos convidados a estar conhecendo de perto um pouco do que é realizado na entidade, e a história que a rodeia. Tivemos também o grande prazer de estar conversando com o Sr. João Aquino, o Juca, que pertence ao grupo desde os primórdios, dançando ao lado de Roberto e Iara Muller, desde o primeiro MOBRAL até os dias de hoje.

Ficou curioso sobre o que podemos aprender com essa gauchada? CONTINUE LENDO e não perca!

Foto: Facebook João Aquino

Roberto Müller já participava do CTG Brazão do Rio Grande desde antes de sua fundação, quando ainda era um departamento cultural da “Congregação das famílias dos amigos da Chácara Barreto”. Em 1965 o Brazão foi fundado e ele estava lá, com seus 14 anos, frequentando e aprendendo ali seus passos de danças. Iara entrou no CTG na época de namoro, em 1975, e posteriormente se tornando integrante do grupo de danças adulto da entidade. Roberto soma 52 anos de danças ao todo e Iara 41 anos de palcos e rodeios.

Che, o que tu me diz com esse ‘tempinho’ de dança? Será que da para ter alguma experiência de palco? Será que ainda ficam nervosos?

De 1976 a 1983 integraram profissionalmente o Conjunto Folclórico Tropeiros da Tradição, de Paixão Côrtes, realizando apresentações, shows e espetáculos com o próprio em quase todos os pontos do RS e também do Brasil. Época esta que participaram, inclusive, das reconstituições, autenticações e divulgações das danças inéditas pesquisadas pelo folclorista, como: Sarrabalho, Valsa da mão-trocada, Roseira, Chotes de roda a moda serrana…

Foto: TV Manchete

Mais uma pausa para o seguinte: que tal ter dançado ao lado do taura que pesquisou tudo e que se hoje existe dança se deve praticamente tudo a ele (ao Lessa e tantos outros também)? Ser corrigido pelo Paixão deve ser uma honra, e não uma tristeza! Mas voltando ao mate…

Foram os primeiros campeões do estado em danças gaúchas, integrando o grupo adulto do CTG Brazão do Rio Grande, no ano de 1977, em Bento Gonçalves, no I Femobral, popular Mobral. Tri-campeões do estado, do mesmo concurso Mobral, nos anos de 1977, 1978 e 1979, possuindo em definitivo o primeiro troféu rotativo das danças gaúchas, chamado troféu “Cidade de Bento Gonçalves”. Em 1980, por serem os atuais tri-campeões do estado, se apresentaram para o Papa João Paulo II, na cidade de Porto Alegre, em frente ao Gigantinho, no Beira Rio, numa apresentação histórica, organizada pelo IGTF, junto com outros tradicionalistas da época.

Foto: Facebook Iara Muller

Dançaram no I Fegart, no ano de 1986, já na cidade de Farroupilha. Tricampeões do Rodeio Internacional de Vacaria, na categoria Veterana, nos anos de 2006, 2010 e 2012. Campeões também do II Fegadan, categoria Veterana, no ano de 2015, em Caxias do Sul.

Foto: Facebook Iara Muller

Participaram como dançarinos e colaboradores da montagem cultural da cena da dança do Filme “O Tempo e o Vento”, de Jayme Monjardin, realizado na cidade de Bagé, no ano de 2014.

Che, mas que história de vida hein? Depois de conhecermos em riqueza de detalhes as suas trajetórias no mundo da dança, fizemos algumas perguntas sobre como foram as mudanças desde o início, como foi conseguir sustentar a tradição gaúcha durante todas as fases de descobertas que foram acontecendo, o que deveria ser feito pelos CTGs e não é, como está o Sr. Paixão Côrtes e como é o contato que possuem com eles e tantas outras perguntas que apresentaremos no post seguinte, na semana que vem. Não perde que ficou loco de especial!

Foto: Filme “O Tempo e o Vento”

Espero que tenham gostado de saber um pouco mais, e quem não teve a oportunidade de os ver dançando, da uma olhada no vídeo que postamos na nossa página no Facebook. E se tu ainda não curte a nossa página, não perde tempo, que assim tu não perde nenhum post.

#CTGBrazão #MOBRAL #FEGART #ENART #DANÇA

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui