A CASA ELÉTRICA SERÁ A PRÓXIMA A CAIR?

Depois do desmoronamento do prédio da Casa do Imigrante, em São Leopoldo, o próximo prédio histórico a ir ao chão será o histórico casarão da antiga Casa Elétrica, a terceira casa a gravar e prensar discos na América.

Localizada no Bairro Glória, foi, durante muito tempo (nas décadas de 10 e 20) a maior gravadora de Discos da América Latina. “Patrimônio da cultura brasileira, a pioneira gravadora e fábrica de discos A CASA ELÉTRICA encontra-se atualmente neste estado de ruína aí da foto. Por isso, a fim de sensibilizar a Câmara de Vereadores e o Prefeitura de Porto Alegre para que destinem a verba necessária a restauração do prédio centenário, um movimento está convocando uma ação popular para o final desta semana.” (Zero Hora)

Paixão Cortês foi o criador do movimento tradicionalista no estado. E a CASA ELÉTRICA deve ao Paixão a sua redescoberta.

A justiça inclusive determinou que a CASA ELÉTRICA fosse restaurada, o que não ocorreu até agora.

a casa elétrica porto alegre

A CASA ELÉTRICA foi tombada em 1996 pela prefeitura de Porto Alegre. Nestes 22 anos passaram pela administração Municipal, 6 prefeitos. NENHUM investiu na restauração do único patrimônio histórico mundial de Porto Alegre.

Nesta casa, no bairro Glória (Rua Sergipe) foram gravados o primeiro Samba (com esse nome) e o primeiro Tango (El Chamuyo). “Quarta empresa fabricante de discos do mundo, A Casa Elétrica funcionou na capital gaúcha entre 1914 e 1924. Foi nela que se gravou e prensou o primeiro disco de tango na América Latina e o primeiro bolachão de samba no Brasil.” (Zero Hora)

Nesta mesma casa foi gravada por primeira vez o tema intitulado Boi Barroso, destacado como o tema mais importante da musicalidade gaúcha.

É um casarão histórico, não somente para a música do Rio Grande do Sul, mas como Brasileira, Latino Americana e mundial.

A Casa Elétrica virou documentário, filme, livro, pesquisas e mais pesquisas, teses, monografias, e tanto e tanto mais.

Abaixo segue link de um dos documentários sobre sua história e sobre sua importancia extrema:

Aqui um link de um PDF de um dos livros de Paixão Cortes, onde ele descreve a historia da Casa Eletrica, por primeira vez:

CLIQUE AQUI PARA ACESSAR O LIVRO.

A “Associação de Amigos da Casa Elétrica”, liderada por Ricardo Eckert, tenta, de várias maneiras, uma atitude para que a Casa Elétrica não vá ao chão, assim como a Casa do Imigrante foi. O prédio tem potencial para ser um museu, um centro de pesquisas, uma ampla academia música, de estudos, de cultura, antropologia, etc. Potencial existe. Fora a arquitetura do prédio, que é também histórica.

Mas, por que Savério Leonetti instalou a sua fábrica de discos e gramofones no bairro Teresópolis ?

Muitos processos industriais necessitam de calor para se realizarem.

No caso dos discos de 78 rpm, eles eram fabricados com a goma laca como matéria prima principal. Para moldar a goma laca, ela era transformada através do calor em uma massa que poderia ser prensada.

A grande chaminé, mostra que havia um forno e, provavelmente, uma caldeira para que se aproveitasse do calor gerado para o uso na indústria.

Outro uso do calor era nos motores a vapor que movimentavam as máquinas na fábrica.

As prensas eram movidas a motor a vapor.

Lembrando que a oferta de energia elétrica em 1914 era escassa na cidade e a Usina do Gasômetro seria inaugurada apenas em 1928.

Naquela época existiam duas pequenas usinas termoelétricas. Uma atendia a demanda dos habitantes do centro e outra era destinada, principalmente, ao fornecimento de energia para os bondes.

A fábrica necessitava de muita água para suas caldeiras. A oferta de água fora do centro e seus arredores em 1924 era pífia.

Moradores de bairros periféricos viviam da água de poços ou dos riachos.

Atrás do terreno da CASA ELÉTRICA até hoje passa o riacho Cascata que proporcionava uma fonte abundante e gratuita de água.

Mas a maioria das indústrias se instalava na beira do rio Guaíba na zona da Voluntários da Pátria para ter o fornecimento de água para suas caldeiras.

Vinil Casa Elétrica

Por que Leonetti foi para o bairro Teresópolis?

Porque ele precisava de um local onde não houvessem muitos vizinhos, já que fazia lançamentos de discos através de festas com muita música.

O barulho da música num local mais densamente habitado poderia, no início do século XX, causar muitos contratempos a sua empresa.

Um outro fator importante, foi a chegada do bonde elétrico ao bairro Teresópolis em 1908.

O bonde passava a duas quadras da CASA ELÉTRICA.

Isto facilitava a chegada dos funcionários e dos músicos ao local.

Água abundante, local com poucos vizinhos e facilidade de transporte.

Estes três fatores fizeram Savério Leonetti escolher como sede da sua fábrica o bairro Teresópolis.

O prédio da Casa Eletrica é o próximo a cair com a ação do tempo.

Salve a Casa Elétrica.

Diego Müller.

paixao cortes casa eletrica

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui