PANDEMIA: COMO RETOMAR AS ATIVIDADES NO CTG?

CTG
CTG

Após 2 anos sem possibilidade de realizar atividades em grupo, como os grupos estão retomando suas atividades?

Buenas amigos, como estamos?

Essa pandemia mexeu com todos os grupos de danças a nível Brasil, isso temos completa certeza. Muitos desistiram, outros acharam hobbys diferentes, outros se mudaram de cidade… e com isso diversos grupos não conseguiram retomar o número de participantes em suas invernadas.

Não só isso, os CTGs também estão com menos sócios em muitos casos, tendo menos verba para a manutenção básica de seus galpões.

A pergunta que fica é: como fazer com que os antigos participantes sintam vontade de voltar a dançar?

A resposta não é única, mas alguns caminhos podem ser traçados para facilitar essa retomada, e as principais pessoas que precisam se envolver e participar desse processo são as antigas lideranças, sejam elas as declaradas (que possuem algum cargo) ou as não-declaradas (que são líderes “por natureza”). Se você leu o “CTG S.A. Liderança e Comunicação para Alcançar o Sucesso” sabe do que estou falando.

O contato precisa, antes de tudo, ser verdadeiro e sincero. Chamar as pessoas que pararam de forma individual, mostrar como as coisas estão hoje, a importância da presença, quem está retornando, relembrar bons momentos que estavam passando… Pode parecer óbvio e simples, mas lembrem, nessa pandemia nos afastamos de diversos grupos de pessoas, restringindo o convívio com apenas alguns, e isso fez com que ficássemos com um forte sentimento de que “algumas pessoas não fazem falta”.

Porém, não é sobre fazer falta ou não, é sobre ter bons momentos com pessoas que tem sim uma função importante na nossa rotina, nem que sejam por poucas horas dentro de um galpão ensaiando, algum churrasco pós ensaio, um final de semana de rodeio…

Eu começaria com esse passo.

O segundo é sobre buscar novas pessoas. Ação que nunca é simples, muitas vezes parece chata e invasiva, mas muitos resolvem conhecer um CTG ou então retomar uma rotina de ensaios após muito convite… é ganhar pelo cansaço, mas no futuro essa pessoa ainda vai agradecer (ou mandar a m… hahaha).

Bueno, outro fator importante vai ser além de identificar a importância no retorno dessa pessoa como dançarino, mas também a importância de suas competências profissionais para o CTG, não de forma a pensar em “explorar” a pessoa, mas sim, mostrar o quanto a mais ela poderá agregar, e quem sabe, até ser remunerada por isso.

Esquecemos muitas vezes que os dançarinos, antes de dançarinos de CTG, possuem profissões fora desse mundo, e que são com certeza muito úteis para a Entidade. Quantos são autônomos e podem prestar serviços (e serem remunerados), como Nutricionistas, Psicólogos, Fisioterapeutas, Advogados, Marceneiros, Contadores e por aí vai! Os grupos esquecem disso! Na verdade, quem já prestou atenção, sabe o quanto podem se beneficiar.

Ainda sobre esse assunto, pensem para a pessoa que trabalha na área da Fisioterapia por exemplo, sabendo que no grupo além de dançar e ter o seu “hobby”, pode contribuir fazendo um pouco da profissão que ama e escolheu para sua vida, auxiliando em formas de alongamento e aquecimento, evitando lesões e tantas outras variáveis por exemplo.

Psicólogos ajudando o grupo a controlar a ansiedade frente aos desafios que tanto ensaiam, buscando meios de deixar a convivência mais leve e ajustando pontos em que a gestão emocional pode definir se o grupo vai ganhar um rodeio ou não.

Mas bueno, não tenho as respostas de como realmente ajudar 100% na retomada, mas sei que escrevemos muito sobre como as Lideranças precisam se posicionar nas Entidades.

CTG S.A.

Para quem não conhece, escrevemos o livro “CTG S.A. Liderança e Comunicação para Alcançar o Sucesso” após pesquisa realizada em 2018 e lançamos o livro em Outubro de 2019.

Logo após, quando algumas lideranças de Entidades que leram o livro começaram a nos chamar para palestras em CTGs, de forma a “abrir mais os olhos da Entidade”, veio a Pandemia e freou tudo. Porém, não por isso, muita gente seguiu comprando e batemos a marca de 500 unidades vendidas em todo o Brasil.

Fizemos faz poucas semanas mais um lote com 100 unidades, no qual te convidamos para conhecer através desse link.

Sinceramente, não sei quanto tempo essas 100 unidades vão durar, principalmente com a volta dos eventos, então se tu te interessa, é interessante buscar logo a tua unidade.

Espero que algumas dicas acima possam ajudar a tua Entidade nessa retomada, e quem comprar o livro, que possa crescer como pessoa e profissional, estendendo o conhecimento também para dentro do ambiente tradicionalista, e assim, possamos reforçar nossa cultura gaúcha.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui