UMA CONVERSA FRANCA SOBRE OS FESTIVAIS DE DANÇAS GAÚCHAS.

festivais de danças gaúchas
 
São poucos os grupos que se sobressaem hoje em dia nos festivais de danças gaúchas. Um que outro vai fazer uma apresentação realmente de encher os olhos.
 
Poucos serão os que arrepiarão o público. Menos ainda serão os que marcarão seu nome na história dos festivais.
Não importa se estamos falando de JUVENART, FESTMIRIM, ENART, FEPART, FENART, FEGAMS ou qualquer outro.
 
Todos estão seguindo a mesma receita de “mais do mesmo”.
 
Copiar o que o outro fez de melhor – já que deu certo.
 
Mas é aí que está nascendo o grande erro e o verdadeiro motivo para algumas invernadas nunca conseguirem sair das mesmas colocações, e pior, ser aquele CTG “comum”.
 
É possível mudar isso? Sim, é possível. É fácil? Talvez.
 
Não é impossível, visto que existem exemplos na história de CTGs que no seu primeiro ano fizeram uma apresentação tão marcante que são lembrados até hoje, como a Feevale por exemplo lá no ENART do início dos anos 2000
Em contrapartida existem grupos que estão a 5 ou mais anos, e ainda são vistos como “novos”, porque não chamam muito atenção.
 
Existem muitos outros exemplos, que podemos te contar melhor mais para frente.
 
De momento te faço um convite: saia da inércia e conheça uma metodologia que pode fazer com que o teu grupo dê um salto.
 
Acesse o link abaixo e entenda mais:
penteado de prendaPowered by Rock Convert

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui